CH Tecnologia
Rua Adalberto Ferraz, 42
Belo Horizonte - MG
CEP: 31.210-020
0800 200 0802
(31) 3311-0800
Últimos Posts
Pesquisar

Blog

Descubra a hora de instalar um ponto eletrônico na sua empresa.

Por que instalar um ponto eletrônico na empresa?

No Brasil, a CLT determina que empresas que tenham mais de 10 empregados façam, obrigatoriamente, o registro de ponto dos seus funcionários (art. 74, § 2º). As organizações que se enquadram nessa realidade têm três opções para atender à legislação: adotar o registro de ponto manual, mecânico ou eletrônico.

O manual é feito em um livro ou folha de ponto onde o horário exato de entrada e saída é registrado por escrito. É um meio barato e simples de ser feito, mas extremamente trabalhoso, pois exige do gestor muita dedicação e, principalmente, tempo para a análise dos manuscritos.

Antigo ponto manual

Já o registro mecânico é feito por meio de um cartão de ponto, onde constam os dias do mês, horário de entrada e saída para o 1º turno, entrada e saída para o 2º turno e entrada e saída para o turno extra. O funcionário insere o seu cartão em um relógio de ponto cartográfico que registra o horário de entrada ou saída, e pronto.

Apesar de ser mais prático que o manual, o registro mecânico ainda exige cuidados na gestão dos cartões e no cálculo correto de horas trabalhas, horas extras, faltas etc. Como a análise não ocorre automática e eletronicamente, o risco de erros, falhas, fraudes e alterações é altíssimo.

O registro de ponto eletrônico, por sua vez, é feito por um Registrador Eletrônico de Ponto (REP), e pode acontecer de diferentes maneiras, como por biometria, reconhecimento facial ou senha, por exemplo.

Um grande diferencial desse método é a possibilidade de interação entre o relógio e softwares, o que facilita a gestão dos registros e exclui a possibilidade de erros e fraudes no cálculo das horas trabalhadas.

Imagem de um ponto eletrônico

Apesar de ser a escolha mais segura e prática de gerir, o ponto eletrônico vem com uma série de regras que precisam ser seguidas rigorosamente, como determina a Portaria nº 1.510/2009, publicada pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Entre as exigências, o REP precisa ter certificação de órgãos técnicos e memória inviolável, além de emitir um comprovante para o funcionário a cada registro de ponto. Uma vez adotado o registro eletrônico, todas as regras devem ser obedecidas, caso contrário a empresa estará sujeita a sofrer uma autuação fiscal e pagar multa.

Vale dizer ainda que, caso o empregador sofra uma Reclamação Trabalhista, o registro dos pontos poderá ser considerado inválido se houver alguma irregularidade, e não poderá ser utilizado para comprovar a jornada de trabalho dos funcionários.

Todas as exigências servem para tornar o REP ainda mais assertivo e evitar fraudes relacionadas a alterações indevidas nos dados registrados, como a exclusão ou alteração do registro de horas extras trabalhadas.

Confira aqui a Portaria nº 1.510/2009 na íntegra.

O que faz do ponto eletrônico a melhor opção para minha empresa?

Estar em dia com a legislação trabalhista e assegurar o registro correto da jornada de trabalho dos funcionários é, sem dúvidas, uma vantagem pra qualquer organização. O registro eletrônico do ponto fornece relatórios completos a respeito de horas trabalhadas, horas extras, atrasos e comportamentos diversos dos colaboradores, o que facilita – e muito – essa tarefa.

Devido a assertividade e agilidade no processamento de dados, ele torna-se uma opção vantajosa tanto para o empregador, que terá menos trabalho e custos para gerenciar o ponto, como para o trabalhador, que receberá um comprovante impresso a cada início e fim de expediente.

Assim, haverá mais confiança no registro da jornada trabalhada e, principalmente, ambas as partes estarão protegidas no caso de disputas trabalhistas judiciais.

Mais do que otimizar o controle de frequência dos colaboradores, com o registro eletrônico de ponto sua empresa atende às normas da legislação trabalhista, reduz custos e ainda economiza tempo.

Para a empresa que deseja adotar o Registrador Eletrônico de Ponto

Hoje, são diversas a opções de ferramentas para o registro eletrônico de ponto disponíveis no mercado a um preço que, normalmente, gira em torno de R$ 2.800,00.

Apesar de ter um custo maior do que os sistemas manual e mecânico, o REP é um investimento que pode poupar as empresas de prejuízos legais e financeiros, já que como dito, garante o registro correto e o armazenamento seguro de todas as informações, diferentemente dos outros dois métodos, facilmente sujeitos a fraudes e alterações de informações.

Se sua empresa tem mais de 10 funcionários ou deseja adotar o registro de ponto eletrônico, a CH Tecnologia tem a solução. Conheça.

Oriente os seus funcionários

Como visto, os registradores facilitam a vida do trabalhador, uma vez que memoriza todo o período trabalhado – inclusive as horas extras – e emite um comprovante impresso a cada registro de ponto. Porém, é importante que o gestor alerte-o: o registro do ponto depende dele.

O funcionário precisa ficar atento para bater o ponto no horário correto ou apresentar justificativa em caso de ausência de registro, seja por esquecimento, atestado médico, trabalho de campo, troca de horário ou qualquer outro motivo.

Os registradores e os empregadores dão essa possibilidade para o trabalhador, mas há um prazo determinado de acordo com cada empresa para que ele registre suas justificativas e não corra o risco de ter suas horas trabalhadas não registradas ou descontos indevidos no salário.  Por isso, gestor: mantenha seu funcionário bem informado.

Prepare-se

Olhe para a tecnologia como uma aliada: ela te permite automatizar serviços e, consequentemente, reduzir erros, retrabalhos e custos. Mesmo que você ainda não se encaixe na obrigatoriedade ou já utilize outro tipo de ponto, modernizar-se é sempre uma boa escolha.

Os pontos eletrônicos garantem benefícios para negócios de todos os tamanhos. Com ele, você estará de acordo com as leis trabalhistas, garantirá a sua segurança e a dos seus funcionários, facilitará o dia-a-dia dos supervisores e, claro, garantirá um controle eficaz da frequência dos funcionários e do pagamento de horas extras e férias.

Além de ter ótimo custo-benefício, ele é fácil de instalar e gerenciar, ocupa pouco espaço e não exigirá manutenção frequente. É, definitivamente, um investimento que valerá a pena.

Sem comentários

Deixe um comentário